Arquivo da categoria: Pensamentos

Live Journal

Hoje eu recebi um email dizendo que eu tinha recebido uma mensagem no Live Journal. Vou admitir que nem lembrava mais da existência do LJ, mas o login e a senha são sempre os mesmos, então entrei sem nenhum problema! E depois eu só fiz uma conta no LJ porque eu lia os capítulos de Nana que alguém só publicava lá. Eu só entrava pra ver se tinham capítulos novos!

Depois de lida a mensagem (que obviamente não era nada importante) resolvi ver se eu tinha algum post publicado e não é que eu achei? Não é a toa que este blog se chama Temp – 526ª tentativa de blog da Carol.

Bem infantil... Apesar de que eu tinha 25 na época!

Os posts são bem antigos e eram em inglês, muito ruim por sinal. O layout de lá é mais fofo, demonstra bem o que eu estava sentindo na época. Essas coisas são bem nostálgicas…

Se quer visitar, o link é http://carolchan.livejournal.com/ mas não tem muita coisa escrita. Eu era um tanto quanto pessimista na época…

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Emprego novo

Contrariando praticamente tudo o que já escrevi nesse blog sobre emprego, tomei uma decisão determinante para a minha vida: estou trabalhando com o meu pai na imobiliária que ele tem. Isso decide quase todo o meu futuro daqui para frente.

Sempre que penso sobre isso acho que deveria ter tomado essa decisão antes. Mas ao mesmo tempo concordo quando as pessoas dizem que eu precisava amuderecer fora e ter outras experiências antes de ir trabalhar na imobiliária. Até porque, eu já tinha trabalhado lá há uns 6 anos atrás e naquela época eu não gostei nenhum pouco. Mas também, naquela época eu tinha um sonho doido, como toda adolescente/”jovem adulta”, de trabalhar no que se gosta, ou no que se acha que gosta. Nessa idade, poucas pessoas sabem o que gostam e o que querem para a sua vida. Eu ainda nem descobri isso ainda, mas sei de algumas coisas:

  • não quero ro mais ter que pular de empresa em empresa, ganhando uma merreca de salário e começando do zero sempre que começar um emprego novo. Ao invez disso, quero construir uma carreira sólida e de preferência, ser a chefe.
  • não quero deixar a empresa do meu pai para outros cuidarem quando ele se aposentar. Ele tem sócios que tem filhos que também vão assumir a empresa um dia, mas com certeza eles vão precisar de ajuda. Assim como o meu pai e  o sócio dele se complementam, eu também espero complementar alguém um dia.

E foram por esses motivos que eu tomei essa decisão. Estou trabalhando na MCC desde 03/11/2010. É pouco tempo ainda, estou me acostumando com toda essa mudança ainda, mas tudo indica que só vai melhorar.

Quando vocês precisarem alugar um imóvel em Porto Alegre, é só falar comigo!

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Papai Noel dos Correios

O clima de Natal já está aí, dá uma vontade de dar e receber presentes. Então lembrei que os correios tem uma idéia muito bacana para ajudar crianças menos afortunadas financeiramente. É o Papai Noel dos Correios. Acho todas as campanhas para um Natal mais feliz válidas, mas essa eu acho melhor porque atende diretamente um pedido de uma criança. Imagina o rosto feliz de um menino ou menina ao ver que ganhou o que pediu ao Papai Noel?

Todo o procedimento funciona assim: você vai até uma agência dos correios e pede pelas cartinhas para o Papai Noel. Lá você escolhe uma de sua preferência. Ela pode ser trocada, se o pedido for maior que a sua disponibilidade financeira. O legal é pegar cartinhas de bairros carentes da sua cidade, por que aí é quase certo que você estará realizando o desejo tanto de uma criança como dos pais dela também.

Aqui em Porto Alegre as cartinhas ficam todas na agência central, que fica na Av. Siqueira Campos, 637, no centro da cidade. Vou fazer de tudo para conseguir um horário livre e ir lá pegar uma cartinha.

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Dança e Yoga

Hoje acordei com vontade de fazer aula de dança. Sempre gostei, mas sou muito atrapalhada e descoordenada. Pelo menos ritmo eu tenho! Anyway, eu estava pesquisando casas de dança aqui em Porto Alegre e a maioria que achei foi de dança de salão ou dança da ventre. Mas eu não quero fazer nada disso! Para dança de salão, eu teria que ter um par. Certamente o C. não iria fazer comigo e eu não iria querer dançar com outro homem, a não ser que fosse conhecido e com tudo muito bem resolvido, porque sabe como é quando um homem e uma mulher começam a dançar juntos, né? Temos vários exemplos de filmes e alguns na vida real que nos mostram que uma dupla na dança vira um casal romântico. Dirty Dacing e suas continuações estão aí para provar.

A minha grande motivação, além de poder fazer algo relacionado a música (porque eu não tenho talento para cantar ou tocar qualquer coisa) é fazer exercício, perder calorias com algo bom e divertido. Eu já faço yoga, o que também é muito bom, me relaxa bastante e põe todos os ossos no lugar. Mas agora eu sinto falta de algo mais agitado, sem contar que a yoga parace estar me engordando!

Eu quero é dançar Jazz ou Hip Hop ou Street Dance. Essas danças onde se  mexe o corpo todo, não precisa de par e tem músicas mais atuais e do meu estilo. Dança de salão normalmente é samba, forró, tango, salsa, etc. com todas aquelas músicas normalmente antigas e nada a ver comigo. E dança do ventre realmente não faz o meu estilo. Admito que na época que virou moda eu fiquei tentada a fazer, mas vi que isso não é para mim. A minha timidez já me impede de fazer uma dança com roupas normais, imagina com um “biquíni” e um monte de véu? A maioria dos lugares que eu pesquisei tem aulas das danças que eu quero para crianças e adolescentes. Eu infelizmente não passo mais por adolescente. Sem contar que eu não tenho mais os horários de adolescente, precisaria fazer aulas a noite ou aos fins de semana. Também seria bom se não fosse muito caro. Estou pedindo demais? =P

Alguém por aí conhece algum lugar assim?

Ps: só para constar: já fiz aula de dança quando era criança/adolescente. Foi no colégio, aquelas danças folclóricas em que nos apresentamos para os pais e todos aplaudem e filmam para mostrar por netos. XD

4 Comentários

Arquivado em Pensamentos

TGIF!

Vocês já perceberam que o mundo melhora na sexta-feira? Ainda mais quando é sexta-feira com sol! A maioria das pessoas fica de bom humor, todos se cumprimentam, saem de suas casas, de seus trabalhos de bem com a vida… É uma alegria só!

Pessoas festejando porque hoje é sexta-feira!

Por isso eu acho que as  semanas deveriam ser feitas de mais fins de semana, para as pessoas ficarem mais felizes e de bem com a vida!

Só quero ver se quando eu tiver meu próprio negócio e precisar trabalhar no fim de semana eu vou pensar o mesmo da sexta-feira… ú.ù

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Cafeteria e Livraria

Já faz um tempo que eu tenho um objetivo de vida: ter um próprio negócio. Eu nunca soube ao certo em qual ramo entrar. Primeiro seria na área da informática, quando eu fazia Engenharia da Computação. Isso não durou muito, porque eu perdi muito o interesse, não pela informática, mas por trabalhar nessa área.

Depois, quando entrei na Hotelaria, minha idéia era uma pousadinha simpática, parecida com a Dragonfly Inn, da Lorelai de Gilmore Girls. Mas, para quem conhece Stars Hollow, sabe que ela é uma cidadezinha do interior, com pessoas ricas e muito turismo, porque a pousada vive cheia, ou pelo menos com muitos eventos. Em todas as cenas em que aparece o Dragonfly Inn tem alguma movimentação de funcionários e clientes. O que eu quero dizer com tudo isso é que implantar uma pousada com esses moldes em Porto Alegre seria inviável. Eu precisaria procurar uma outra cidade, provavelmente no interior, me mudar, etc etc.

Lorelai na recepção da Dragonfly Inn. Não é charmoso? ^^

Eis que ano passado me veio a brilhante idéia de abrir uma cafeteria aconchegante, com um clima rústico porém charmoso, onde as pessoas quisessem passar o seu tempo ali, tomando um capuccino e lendo um livro. E se a pessoa esquecesse seu livro? Sem problemas, o lugar também disponibilizaria uma “biblioteca” para leitura no local. E se a pessoa gostou tanto do livro e quer comprar? Ele também estará disponível para venda. E se a pessoa tem um livro em casa (em boas condições, óbvio) e quer vender? A cafeteria também aceita propostas de venda! Seria o lugar perfeito.

Pois então, este ano eu comecei a pesquisar mais sobre isso, trasnformar o meu sonho em realidade. Ainda estou no começo, afinal eu nunca tive esse tipo de experiência. A faculdade deu algumas dicas sobre isso, mas na época eu não levava muito a sério. Eu já tinha a noção que queria ter o meu negócio, mas me achava muito nova para isso e não tinha nenhuma previsão de quando poderia pôr em prática todo esse projeto (na verdade o projeto MESMO ainda não existe, mas está em andamento!).

O meu primeiro passo foi fazer um curso do Sebrae que se chama Programa Próprio.  Ele é um basicão pra quem quer abrir um negócio ou já tem um negócio próprio, mas quer aperfeiçoar.

Amanhã, vou participar do 2º módulo. Tenho muito caminho pela frente, ainda. Pelo menos eu conto com a ajuda de muita gente, principalmente da minha família. Também estou expandindo minha rede de relacionamentos (não é o Orkut e nem o Facebook, é vida real, mesmo) para aumentar os meus contatos. E todo mundo sabe que o mundo é feito de contatos!

Como por enquanto são só idéias, ainda não vou compartilhar tudo o que tenho em mente. Conforme essas idéias forem evoluindo, se tornando mais concretas e parte de um projeto, eu vou mostrando aqui no blog. ^^

5 Comentários

Arquivado em Pensamentos

Preguiça

Depois do meu longo post de ontem sobre a minha viagem, percebi que não sou só eu que abandono blogs! As senhoritas @nandafedrizzi e @hengobk e o senhor @sakaguti abandonaram os blogs que eu estava seguindo!Alguns tem projetos paralelos, outros blogs, etc para fazer.

Me pergunto, porque um blog é tão difícil de manter? Os autores perdem o interesse? Os leitores perdem o interesse? O autor se ocupa de coisas mais importantes e acaba sem tempo para escrever em seu blog? Ou então é pura preguiça mesmo?

Eu confesso que para muitas coisas eu sou preguiçosa. O blog, por exemplo. Em alguns momentos eu faço um post por dia, enquanto em outros demoro mais de um mês para postar de novo.

Mas então, quando vocês vão acordar e atualizar os seus blogs?

1 comentário

Arquivado em Pensamentos

22

Ouvi a música da Lily Allen, 22, agora a pouco. Para você que não sabe inglês ou que não prestou atenção na letra, ela fala sobre uma mulher que aos 22 tinha tudo para dar certo na vida e aos quase 30 é considerada perdedora pela sociedade.

Meu, essa música me fez pensar. Eu já tenho 25 e o que eu fiz da minha vida até hoje? Praticamente nada. Sou formada em Hotelaria há dois anos e meio e não trabalho na área. Meu emprego é bom afinal não é nada difícil, minha chefe é super amiga, fica perto de casa, tem um horário ótimo, mas não paga muito. Moro na casa dos meus pais, o que é muito cômodo, pois todo o meu salário vai para mim mesma, alimentando ainda mais o meu lado consumista. Namoro fixo há quase sete anos, mas como o C. está praticamente na mesma situação que eu, nossa relação não evolui por falta de dinheiro.

O que me parece é que o amanhã reserva muitas coisas para mim. Muitas oportunidades surgirão e muito vai mudar, mas isso nunca acontece. O amanhã nunca vem. Isso tudo está acontecendo por falta de vontade minha de mudar. E por mais que eu tente olhar só para mim mesma, eu não consigo deixar de ver que várias pessoas na minha volta também estão na mesma situação. Fico triste em pensar que meus pais com a minha idade já tinham suas vidas feitas, determinadas. Ao mesmo tempo também penso que na época dos meus bisavós, por exemplo, eles tinham que correr com a vida deles porque a expectativa de vida era bem menor, então aos 30 anos eles estavam no meio da vida deles. Hoje em dia, eu penso que o meio da vida, para muitos, é os 50 anos e, por isso, nós podemos aproveitar mais e prolongar certas fases da vida.

Ainda não sei qual é a conclusão de todos esses pensamentos e não sei se é melhor pensar mais a fundo sobre isso ou esquecer por enquanto e deixar a vida fluir mais naturalmente. Vocês já tiveram pensamentod parecidos?

3 Comentários

Arquivado em Pensamentos

Relationship Sucks II

Continuando a saga das coisas ruins em relacionamentos, falarei hoje sobre os relacionamentos a dois.

Assim como comecei o post anterior, digo que é muito bom ter alguém ao seu lado, afinal, o ser humano não consegue viver sozinho. Todos nós precisamos de compania, de alguém que te entenda, que te acompanhe nas coisas boas, que te apóie em suas decisões, etc, etc. Mas também precisamos de um tempo sozinhos, para botar as nossas coisas em ordem, os pensamentos no lugar.

Bons relacionamentos são feitos do equilíbrio entre estar junto e separado, ceder nas horas certas (e dos dois lados!), falar nas horas certas. Hoje eu posso dizer que tenho um relacionamento estável com o C. porque além de nos amarmos, nós temos os mesmos planos para o futuro, pensamos do mesmo jeito, temos muito o que falar um com o outro e respeitamos o espaço um do outro. Nem sempre foi assim, nós passamos por alguns problemas no passado por ter ficado muito tempo juntos, sem fazer nada separado. Nós entendemos que isso não era bom para o nosso futuro a dois, conversamos e hoje encontramos um equilíbrio.

Isso não é o comum de acontecer. A maioria dos casais não conversa, preferem reprimir os sentimentos, talvez por medo da reação do parceiro. Porém, se não existir a conversa sobre as coisas bobas, as coisas que incomodam pouco, quando tiver uma discussão tudo o que ficou reprimido durante muito tempo acaba vindo à tona. Por isso os casais  acabam se separando por um motivo aparentemente besta, mas o que a outra pessoa não sabe, é que tem vários outros motivos por trás da separação, mas que nunca foram discutidos no momento certo.

Ta aí uma coisa que está na moda e normalmente homem não suporta: discutir a relação. Homens, prestem atenção: discutir a relação, quando se tem um problema, é a melhor solução! Além de você saber qual são as coisas que incomodam na sua namorada/esposa/caso você também pode falar o que te incomoda nela! E, se tudo der certo, vocês podem melhorar os pontos fortes e trabalhar nos pontos fracos. Mas dou duas dicas: 1º – se o seu namorado(a) não aceita nada do que você falou e só reclama e ainda cobra muito de você, cuidado: você pode estar com a pessoa errada. 2º – não discuta a relação se não tiver nenhum problema entre o casal. Discutir a relação é muito bom para esclarecer certos pontos, mas quando feita desnecessariamente, só desgasta os dois.

Ao mesmo tempo que ficar sozinho é bom, ficar juntinho também é ótimo! Quem não gosta de ter alguém para aquecer nas noites de inverno ou para passear nos dias de verão? Enfim, equilíbrio é a chave para um bom relacionamento. Na permanência, na ausência, no romantismo, em tudo.

Alguém tem algo para acrescentar? ^^

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Relationship sucks

Sim, relacionamentos são um saco.

Ok, eles são muito bons quando dão certo e quando tem um parceria dos dois lados, mas fora isso, são um saco. E não estou falando apenas de relacionamento amoroso entre homem e mulher (ou entre mesmo sexo, se você for gay) mas sim de todo o tipo de relacionamento entre pessoas em geral.

Podem até me chamar de má amiga, mas eu sou aquele tipo de pessoa que liga pros amigos quando está afim. Nem sempre é para alguma coisa específica, ou para pedir alguma coisa, é só quando dá vontade mesmo. E eu admito que poucas vezes eu tenho vontade. Não é por mal, eu gosto da compania de outras pessoas, mas eu sou uma pessoa caseira mesmo, sempre fui. Na época em que eu saia mais, que eu ia pra balada (naquele tempo nem se chamava balada ainda) era mais porque todo o pessoal ia também. Mas depois de um tempo, eu comecei a achar que aquilo não combinava comigo. Essa coisa de sair para ficar ouvindo música alta e não poder conversar com a pessoas, comer comida ruim (não que todas as boates ou assemelhados tenham comida ruim, mas é certo que o público desse tipo de lugar não se importa com a qualidade da comida e sim da bebida), beber até não poder mais, voltar pra casa quase amanhecendo, dormir no dia seguinte até às 2 da tarde e não aproveitar mais nada do fim de semana não é o meu programa ideal. Anyway, depois que eu descobri que gostava de comer comida boa e conversar decentemente, eu comecei a frequentar jantares com os amigos. Esses eu gosto bastante, e pretendo continuar com eles por muito tempo, obviamente com as companias certas.

Só que eu tive (e provavelmente ainda terei) alguns amigos muito facilmente abaláveis psicologicamente. Digo isso porque são daqueles tipos que se tu não fala com a criatura por 1 semana ele se chateia e manda mensagem no celular ou email perguntando se eu estou brabra com ele e porque não falava mais. Mas como já disse, eu não faço por mal, apenas de vez em quando não tenho vontade de ligar ou de procurar certas pessoas. Gosto de ter um pouco de privacidade e de tempo para fazer coisas sozinha, na minha casa, em paz. Isso não quer dizer que eu não goste de fulano ou ciclano, mas eu acredito que amigo continua sendo amigo depois de 1 semana, 1 mês, 1 ano até! Muitas vezes esqueço de aniversários e até algumas datas importantes, eu não mando emails melosos, nem correntes. Eu gosto de receber essas coisas, mas não faz parte da minha natureza ser assim.

Esses dias eu encontrei uma ex-colega do colégio. Na época nos falávamos um monte e tínhamos um grupo que se dava super bem, mas com o tempo foi se separando por N motivos. Nós conversamos como se não tivesse passado quase 5 anos que não nos víamos. Ela me comentou que quer fazer um reencontro dessa turma, coisa simples, só para nos vermos de novo e conversar. Mas aí pensei comigo mesma – o problema dessas reuniões é que sempre tem aquela pessoa desagradável para dizer “e aí? porque nunca mais ligou ou procurou?” Peraí! E o senhor(a), por acaso se deu ao trabalho de me dar parabéns por eu ter passado na faculdade? Por eu ter me formado? Aliás o senhor(a) foi convidado para a minha formatura e não teve a coragem nem de dizer que não ia! E agora cobra de mim porque eu nunca mais dei notícias? Faça um favor a você mesmo e desapareça da minha frente! – Ok, depois desse pensamento eu pedi a minha amiga para fazermos essa reunião, mas apenas com o pessoal mais tranquilo, aquele que não vai me cobrar por uma coisa absurda. E, para a minha surpresa, ela concordou! Yay, mais alguém que pensa como eu!

Resumindo: amigo, por favor, não fique chateado comigo por eu não ter ido ao seu churrasco no último mês, ou porque você não me convidou para o seu aniversário e eu obviamente esqueci. Eu gosto de você, só não demonstro isso da maneira que você quer que eu demonstre. Só que isso não vai mudar, então se quiser continuar meu amigo, é assim que vai ser.

E então, quando vai ser a próxima janta? =D

ps: Qualquer hora eu escrevo sobre o ruim de relacionamento a dois, também.

1 comentário

Arquivado em Pensamentos